Isamar Ramalho pode ser candidato ao governo em 2018

Eu escrevi aqui há alguns dias que o pastor Isamar Ramalho, presidente da Igreja Evangélica Assembleia de Deus, se mostrava propenso a sair candidato a senador no no pleito de 2018. Pois bem. Hoje retorno ao assunto com um posicionamento mais incisivo do líder evangélico. Ao me devolver as perguntas da entrevista que fiz, via e-mail para a próxima edição do Jornal Roraisul, que estará sendo distribuída a partir de terça-feira (3 de outubro), Isamar Ramalho assegurou que sua candidatura já está decidida, não é mais uma cogitação. “A minha Igreja me autorizou a sair candidato”, disse ele.

O que ele ainda não decidiu é se vai se candidatar a uma das vagas em disputa para o Senado Federal ou se pleiteará o Governo de Roraima. No entanto, disse que diante da falta de alternativas de nomes percebida hoje ele deve se apresentar como uma terceira via para o governo. Isamar Ramalho contou que os pastores e líderes da Igreja Assembleia de Deus de todo o Estado de Roraima se reuniram em sua sede estadual, em Assembleia Geral, e lhe deram autorização para sair candidato.

“Estou autorizado a sair candidato tanto ao governo estadual como para o Senado e vejo isso com bons olhos porque se eu posso contribuir ajudando os outros a serem eleitos, posso colocar meu nome a disposição da sociedade. E modéstia à parte, sei que posso ajudar de forma significativa para termos um Estado cada vez melhor”, afirmou.

Segundo Isamar Ramalho, diante do cenário atual para o pleito 2018, em que o país vive esse clima de corrupção endêmica, a igreja acredita que não apenas adianta criticar, mas colaborar oferecendo nomes nomes para concorrer aos cargos de deputado estadual e federal, senador e governador.  “E o meu nome tem aparecido no cenário tanto para governo como ao senado”, frisou. O líder evangélico diz que vai entrar na disputa para valer e não apenas para participar como figurante.

A pesquisa feita pelo Instituto Norte de Pesquisa (INOPE) mostrou que o pastor Isamar Ramalho aparece em quarto lugar, com 7,4%, no ranking das intenções de voto num cenário em que disputaria com Romero Jucá (28,03%), Ângela Portela (23,19%) e Mecias de Jesus (14,21%)

“Estou vendo os meios e os caminhos para o momento certo fazer o lançamento da minha candidatura e certamente iremos. Não quero sair apenas para ficar pelo meio do caminho. Eu acredito que ninguém deve colocar seu nome simplesmente para figurar no mundo político. Nós temos que colocar o nome à disposição e análise da sociedade acreditando que é possível chegar ao final de uma campanha eleitoral com o nome entre os eleitos”, afirmou.

O pastor disse que sob sua liderança a Igreja Assembleia de Deus em Roraima sempre teve um posicionamento político claro, decidindo a cada pleito quem deve apoiar ou lançar como candidato. “Desde 2002, [a igreja] vem lançando candidatos e elegendo-os a diversos cargos, dentre eles, vereadores, deputado estadual, federal, bem como tem ajudado na eleição de prefeitos, senadores e governadores”. Agora ele entende que chegou a hora de a denominação ter seu próprio candidato majoritário seja ao Senado ou ao Governo.

Publicado originalmente no Blog do Luiz Valério

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *