Avião com cocaína cai no Sul do Estado, piloto é encontrado morto

Na manhã dessa segunda-feira (18), Após receber denúncia anônima de que uma aeronave havia caído na Região do Baixo Rio Branco, do lado direito da margem, que corresponde ao Município de Caracaraí, a Polícia Militar do Estado (PMRR) e o Corpo de Bombeiros averiguaram a denúncia e fizeram o deslocamento para local.  Ao chegarem à localização indicada, encontraram os destroços do avião de pequeno porte. Dentro da cabine estava o corpo do piloto e cerca de 100 quilos de cocaína prensada, o maior carregamento apreendido nos últimos tempos em Roraima.

De acordo com os policiais, a informação de que a droga estava sendo transportada na aeronave foi dada na denúncia. A partir daí, o grupamento da Força Tática da 2ª Companhia Independente de Polícia Militar de Fronteira (CIPMFron), que fica na sede de Caracaraí, ao Sul do Estado, acionou os mergulhadores especializados em busca e salvamento para iniciarem a varredura na área.

Depois de encontrados o corpo e a droga, os militares fizeram o deslocamento até a sede de Caracaraí, para entregar todo o material apreendido e entregar o corpo do piloto ao Instituto de Medicina Legal (IML), que deve iniciar o exame cadavérico na manhã desta terça-feira, 19.

Peritos do Instituto de Identificação terão que realizar um procedimento específico para fazer o reconhecimento do corpo, tendo em vista que a face ficou dilacerada devido ao impacto no momento da queda.

A filha do piloto José Donizete do Amaral acredita que o corpo seja de seu pai, tanto pelas características físicas quanto pelo relógio que estava no pulso. Ela disse à Folha que deu o relógio de presente de aniversário para o pai há alguns dias e que tem quase 100% de certeza, observando as fotografias, que o corpo é do seu pai.

De acordo com as informações da Força Aérea Brasileira (FAB), integrada à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e ao Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), até o começo da noite dessa segunda-feira nenhum dos serviços da Aeronáutica tinha sido notificado sobre o acidente, portanto, não teriam como explicar os procedimentos que adotariam.

A assessoria de comunicação da FAB informou que nem mesmo o Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa) foi notificado sobre os fatos e que os agentes que atuam em Roraima souberam do acidente por meio dos veículos de informação locais.

Conforme os dados da Anac, a aeronave foi comprada pela empresa em 1995 e a documentação estava regularizada, em condições normais de aeronavegabilidade.

O delegado Luciano Silvestre, titular da Delegacia de Caracaraí, afirmou que aguardava a chegada da PM com todo o material apreendido e o corpo do piloto para iniciar os procedimentos, mas que não havia previsão de que horas receberia as equipes ontem, considerando que a área é de difícil acesso e o transporte utilizado pelas equipes são embarcações.

O caso será investigado nos próximos dias a fim de esclarecer as circunstâncias pelas quais o avião caiu, além de apurar a procedência da droga e destino final, uma vez que é apreensão envolvendo grande quantidade de entorpecentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *